A Origem dos Rosacruzes

GLP

Sede da AMORC-GLP

O nome oficial, em latim, da Ordem é Antiquus Mysticusque Ordo Rosae Crucis, do qual se deriva a sigla A.M.O.R.C. A tradução desse nome para a nossa língua é Antiga e Mística Ordem Rosae Crucis. Seu símbolo, uma cruz dourada com uma rosa semi desabrochada no centro, não tem conotação religiosa; o símbolo da cruz é anterior ao Cristianismo e não é, necessariamente, um símbolo religioso, mas liga-se a um significado filosófico e metafísico. Na Cruz Rosacruz a Cruz simboliza a matéria e o
corpo humano, a Rosa representa o desabrochar da consciência através da experiência corporal ou material. Unidos, a Rosa e a Cruz representam as experiências e os desafios de uma vida reflexiva bem vivida rumo à Consciência Cósmica, ou Iluminação.

A AMORC tem suas raízes no Egito Antigo, remontando há 1500 a.C. Naquela época surgiram no Egito grupos seletos de homens e mulheres para investigar os mistérios da vida, do ser humano e do Universo. Eram formados por pessoas livres de sectarismos. Só aspirantes sinceros à sabedoria, e que satisfaziam certos testes, eram considerados dignos de serem iniciados neste conhecimento. Desses grupos surgiram as Escolas de Mistérios. Os primeiros Membros destas Escolas se reuniam em câmaras secretas de magníficos e velhos Templos, nas quais, como candidatos, eram iniciados nos Mistérios.

O Faraó Tutmés III (1500 a 1447 a.C.) organizou a primeira Fraternidade de Iniciados baseada em princípios perpetuados hoje pela Ordem Rosacruz, AMORC. Mais tarde, o Faraó Amenhotep IV ou Akhenaton foi iniciado a essa Fraternidade. Ele foi tão inspirado pelos ensinamentos esotéricos que deu um sentido completamente novo à religião, à filosofia e à arte do Egito. Amenhotep IV é considerado o primeiro Grande Mestre dos Rosacruzes.

Séculos depois, filósofos como Tales, Pitágoras, Sólon, Platão, Plotino e outros viajaram para o Egito e foram iniciados nas Escolas de Mistérios. Trouxeram, então, aquele avançado saber e sabedoria ao mundo ocidental. Na época de Carlos Magno (742-814 d.C.) a Ordem Rosacruz foi introduzida na França, e deste país se espalhou para grande parte da Europa ocidental e, nos séculos seguintes, por outras regiões. Em 1915 a Ordem despertada nos EUA pelo jornalista, filósofo, cientista e místico Dr.
H. Spencer, que havia sido inciado na organização em 1909, na França. A partir daí, a Ordem mantém sua estrutura unificada e moderna, estando presente em todos os continentes.

A Ordem Rosacruz, AMORC, através de um sistema comprovado de ensino à distância, transmite sua sabedoria a seus afiliados, por meio de Monografias Oficiais, cobrindo misticismo, ciência, filosofia e cultura, com atenção a exercícios práticos em todos estes campos. Promove a paz no mundo por meio do estabelecimento da paz individual, pois entende que “Não haverá um mundo melhor sem melhores homens”. Trabalha, também, psiquicamente, para purificar a aura da Terra das emanações nocivas irradiadas pelas mentes perturbadas de milhões de pessoas.