Seja uma pequena Colina

colina

Seja uma pequena Colina

Por Donna Ashworth Thompson

The Rosicrucian Beacon – December 2016

 Quando eu leio as muitas coisas que são escritas por pessoas maravilhosas e inteligentes, eu me sinto desencorajada com meu próprio pensamento. As coisas sobre as quais penso parecem ser tão comuns e não aparentam agregar muita coisa. Mas o mundo está cheio de pessoas comuns que pensam em coisas comuns. Eu tenho uma amiga que escreve poesia e uma delas tem as seguintes linhas consoladoras:

Se eu não posso ser uma montanha com a minha cabeça acima das nuvens… eu mudarei meus planos e tentarei ser uma pequena colina. Nem todo mundo pode ser uma montanha, então se for da vontade de Deus, eu não medirei esforços para ser uma pequena colina.

Nada do que li recentemente reanimou tanto o meu ânimo decaído como este pequeno verso. Eu mantinha uma admiração por pessoas brilhantes e pelas coisas que elas faziam. Tudo isso estava fora do meu alcance. Então, comecei a pensar sobre isso da minha própria maneira. Quase todos nós queremos ser montanhas. Nós queremos ser importantes e ter coisas impressionantes. Se moramos numa cidade, queremos ter uma casa grande, um carro caro e coisas que nos farão nos destacar para que as pessoas nos admirem. Se moramos no campo, queremos belos animais, maquinários e acres e acres de terra.

Se não estivermos interessados nessas coisas, queremos ser montanhas na comunidade ou no país, queremos ser alguém que se destaca, um “Everest” entre os outros.  Assim, geralmente sacrificamos muitas coisas a fim de nos tornarmos uma montanha. Eu pensei em como as montanhas são geralmente difíceis e proibitivas quando olhamos para seus exuberantes penhascos e picos nevados. Por muitas vezes elas estão isoladas do resto do mundo e permanecem sozinhas em sua grandiosidade. Falando de pessoas que são montanhas, o escritor americano e dramaturgo George Ade (1866 – 1944) disse uma vez: “É frio aqui em cima”. E realmente acredito que seja.

Colinas estão mais próximas, são acolhedoras e todos as amam, pois elas rodeiam as nossas vidas. Na primavera os arbustos e as flores das árvores, misturados com os vários tons de verdes e sombras frescas, nos dão um alívio do calor. No outono, o cenário dourado de muitas cores, e no inverno as árvores secas ao lado dos pinus e cedrinhos são todos belos e adoráveis. Eu sempre quis ser uma montanha, mas depois de ler o verso sobre a pequena colina ao lado do riacho onde as crianças gostam de brincar, decidi que eu prefiro ser uma pequena colina.

As pessoas nem sempre gostam das montanhas austeras e daqueles que são como elas. Eles os olham em admiração, mas com a pequena colina é diferente. Pessoas como a pequena colina, acolhedoras, de pouca importância que vivem em suas casas comuns apenas com bens materiais suficientes para satisfazer suas necessidades diárias. Eles podem não ser tão brilhantes quanto as pessoas que são como montanhas, mas nós as compreendemos. Nós não as colocamos em um pedestal e ficamos em reverência.

Devemos ter pessoas como montanhas para guiarem o caminho, mas também precisamos das pessoas comuns como as colinas que são as bases e as origens. Eu pensei sobre isso e percebi que sou apenas uma pequena colina. Eu tinha ambições, mas provavelmente não tinha a habilidade necessária para me tornar uma montanha e, na tentativa de me tornar uma, eu teria que desistir de muitas coisas na vida que aprecio. Tenho sonhos, assim como todas as pessoas têm. Queremos as coisas que tornam a vida mais agradável e que propiciam uma vida melhor para nós e para aqueles que amamos.

Pessoas como as pequenas colinas e as admiráveis montanhas. Quando li o poema eu soube que não vou lutar para ser uma montanha quando, na verdade, sou apenas uma pequena colina.

Compartilhar/strong> Artigo

Sobre o Autor

Comentários

Comments are closed.