Prece Mística

prece mística

Prece Mística

Michael Shalufy, FRC

Minha vida tem sido guiada pelos ensinamentos da AMORC por mais de 35 anos. Os princípios me apoiaram quando comecei uma empresa há alguns anos e, recentemente, eu me tornei o presidente da nossa Câmara local de Comércio. Esta posição nos ajudou quando celebramos o trigésimo aniversário da empresa e convidamos dignitários de nosso governo estadual e municipal, empresas de todo o país, e nosso pessoal de vendas de todo o mundo. Eu preparei comentários breves para este evento, inserindo todas as expressões de apreço esperadas. Mas também continuei recebendo uma forte impressão que tentei ignorar, que seria recitar uma oração matinal que venho usando há muitos anos. Nós fomos apresentados a esta oração na Morada do Silêncio da AMORC em Quebec há mais de uma década, onde cumprimentou-nos todas as manhãs, gravada pelo Grande Mestre. Era uma ótima maneira de começar o nosso dia na Morada e permaneceu conosco desde então.

Eu tentei tirar da minha mente a ideia de recitar a oração no evento da nossa empresa, pois sempre me esforcei para manter meu trabalho místico privado e não sabia como um grupo tão diversificado reagiria a uma oração. Eles pensariam que eu seria excessivamente religioso? Nosso gerente de vendas nacional era um ateu declarado. Isso seria negativo e afetaria seu trabalho? Seria mais seguro simplesmente dizer “muito obrigado!”, mas a impressão continuava voltando: “Use a oração.”

Entretanto, contra a minha vontade, decidi prestar atenção naquela pequena voz. No final da nossa apresentação mencionei que eu fazia uma certa oração todas as manhãs e ao longo do dia para apoio e esperava que eles pudessem encontrar força nela também. Pedi-lhes que inclinassem a cabeça se desejassem e comecei:

“Deus do Meu Coração, no silêncio do dia que amanhece, eu venho pedir-Te  paz, sabedoria e força. Que hoje eu possa olhar para o mundo com os olhos cheios de amor. Possa ser paciente, compreensivo, gentil e sábio. Que eu possa ver seus filhos além das aparências, como você mesmo os vê e, portanto, veja apenas o bem em cada um. Fecha meus ouvidos para a calúnia; mantenha minha língua livre de palavras mal-intencionadas. Que somente pensamentos de bênçãos permanecem na minha mente. Que eu possa ser tão gentil e tão alegre que todos aqueles que de mim se aproximem, sintam a Tua presença. Vista-me com a Tua beleza, Deus do meu coração, para que durante todo esse dia, eu possa revelar-Te.”

O resultado? Líderes civis, membros da câmara, nosso pessoal de vendas, mesmo “ateus”, vieram até mim e declararam que foram inspirados e muitos pediram uma cópia. A oração foi um sucesso e um tom inspirador para o restante do evento.

Várias semanas depois, minha esposa e eu estávamos reunidos em uma festa de premiação em uma cidade vizinha. Todos ficamos de pé e o presidente da escola pediu a um pastor para fazer uma invocação. O pastor chegou ao microfone, pediu que todos inclinassem suas cabeças, e então começou:

“Deus do meu coração, no silêncio do dia que amanhece… “

Foi um momento maravilhoso, ouvindo a oração que nos cumprimentou na Morada há tantos anos, e sabendo que tinha agora aberto caminho para a nossa comunidade. Depois, o pastor agradeceu-me por compartilhar a oração com a pessoa de quem ele recebeu e agora estava compartilhando com outras. Novamente, outros vieram até mim e pediram uma cópia. Então, como essa influência invisível, orientadora e mística consegue entrar no nosso mundo?

Talvez quando ouvimos aquela vozinha e agimos com confiança. O mundo precisa da bondade que vem de nossos corações e compartilhar o bem em todas as suas formas será um auxílio para que outros possam ouvir a mesma “pequena voz”.

Compartilhar/strong> Artigo

Sobre o Autor

Comentários

Comments are closed.