Os perigos da lamentação

Os perigos da lamentação

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Adilson Rodrigues, F.R.C.

Aprendemos muitas coisas nesta vida com os nossos pais e orientadores. Na verdade, é na infância que aprendemos certos padrões de pensar, falar e reagir. A satisfação de viver e curtir a vida talvez se constitua num dos mais formidáveis aprendizados que devemos vivenciar. Todavia, com frequência observamos pessoas insatisfeitas, aborrecidas e mal-humoradas.

A insatisfação pode acarretar o desenvolvimento do nosso lado crítico e intolerante. As consequências são muito negativas.  Não ouso dizer que tudo que aprendemos é influência dos pais. Existem forças externas, assim como forças internas, nos estimulando.

Mas falemos da lamentação. Ela também é um problema de aprendizado? Uma influência externa? Você quando lamenta está imitando a mãe, o pai, ou os avós? É claro que a lamentação manifesta insatisfação, mas ela pode ser um hábito, e a pessoa nem percebe que está lamentando. Chamamos isto de uma atitude inconsciente.

A lamentação causa muito desgaste. Quando você faz alguma tarefa, e faz reclamando, o desgaste é duplo. É a pessoa submissa revoltada. A lamentação mata a esperança. As pessoas se irritam. Atrai-se o negativo. Além destes, um outro grande perigo que as pessoas que lamentam correm é o perigo de sentirem-se vítimas, “coitadinhas”. E estes sentimentos podem levá-las a achar que são as únicas sofredoras do mundo, ou as mais sofredoras do mundo.

Neste estágio de vítimas, coitadinhas, as pessoas podem correr um outro risco: o de se sentirem crianças dependentes. Este estágio leva a pensarem: “por favor, façam por mim a minha vida.” Que perigo!!! Devemos mobilizar nossas forças e potencialidades para vivermos nossa vida, para apreciar a vida, e não a apressar.

Outro grande risco da lamentação é esperarmos dos outros o conforto. Quando lamentamos podemos, inconscientemente, esperar uma palavra de apoio, uma palavrinha de força e esperança. Esperar dos outros sempre é um risco. E se esta palavrinha de apoio não vier?

Pense nisso e seja feliz!

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

/ Sem categoria

Compartilhar/strong> Artigo

Sobre o Autor

Comentários

Comments are closed.