Medo de Incomodar

med-adilson

Medo de Incomodar

Adilson Rodrigues, FRC

O que será que se esconde atrás do medo de incomodar? Percebe-se com frequência esse sentimento nos tímidos e nos idosos, mas é um sentimento comum a muita gente. Ele é um fardo inútil e desnecessário, que podemos estar trazendo em nosso inconsciente e refletir a seu respeito pode ajudar.  Se isso é verdade, vamos eliminá-lo.

O que se esconde atrás desse sentimento? Será um medo de ser criticado, banido ou rejeitado? Um medo de ser humilhado?

Uma criança pode escutar de seus pais e parentes que “criança incomoda”: Ah! Não posso sair por causa das crianças; não posso passear por causa das crianças; não posso viajar porque não tenho quem cuide deles. Olha as roupas, olha a bagunça, olha o preço da escola…  Se esse tipo de comunicação for constante, o que a criança vai registrar?

Para alguns pais os filhos podem incomodar, mas para muitos os filhos são uma fonte de prazer, oportunidades, motivação e aprendizado. Imagine-se sem eles.

A criança percebe desde pequenina quando ela é amada ou quando incomoda.

Certo dia, um conhecido dizia que “velho incomoda”. Como ele repetiu a colocação por várias vezes, percebi que havia um conflito.

Dessa forma, perguntei se ele havia escutado na infância que criança incomoda. A resposta foi rápida: sim, muitas vezes. Apanhava e nem sei porque apanhava. E com pouca idade tive que sair de casa.

A vida é misteriosa! Meu conhecido estava se vingando? Quem planta colhe?

Mas afinal, o que se esconde atrás desse medo?

Crianças têm as suas particularidades próprias da idade. Elas devem ser crianças, viver como crianças e curtir sua condição biológica para tornarem-se adultos comprometidos com a vida. Atualmente as pessoas entendem melhor a condição de facilitar que nossos “filhos-crianças” sejam crianças.

Mas muitos adultos conservam o antigo medo de incomodar.       Então vamos refletir: o que significa incomodar?

Se você chegar na casa dos outros à noite, sem avisar, você pode realmente incomodar.  Se você só fala o mesmo assunto, repetidamente, você pode incomodar. Se você só reclama, você pode ser um incômodo. Se você fala muito, fala alto, agarra os outros para te ouvirem, repete com frequência “você me entende?”, você incomoda. Se você é insistente, pegajoso, mal-humorado…

Podemos incomodar quando exigimos algo dos outros. Quando chegamos sem avisar ou sem sermos convidados. Incomodamos quando estamos numa festa (para festejar) e ficamos lamentando nossos problemas.

Bem e qual seria o tópico para refletir?

1 – Há os que têm medo de incomodar.

2 – Há os que incomodam e não percebem.

A reflexão é para os que têm medo. Se você tem uma boa percepção, inteligência e adequação, não tenha motivo para ter medo. Perceba… e saiba cair fora se for necessário.

Mas não tique fugindo das oportunidades. O oposto do tímido pode ser o atrevido. O equilíbrio significa não ser medroso, fujão e nem atrevido tipo “Cara de pau”, invasor.

Arrisque pelo menos 50%. Como é que você pode saber o gosto do pudim de chocolate? Você só pode saber se incomoda se você tiver uma boa autopercepção, adequação e não se isolar numa toca ou ficar num “Sarcófago”.

Viver é acumular experiências para sobreviver. O “patinho feito” era um pato feio? Não, ele era um cisne real que estava num galinheiro errado.

Compartilhar/strong> Artigo

Sobre o Autor

Comentários

Comments are closed.