Como Relaxar

relaxamento

Como Relaxar

[vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_column_text]Arquivos da AMORC

Há muitas coisas que podem ser mais facilmente conseguidas, não pela atividade, mas, pela passividade, ou por meio de relaxação. Sabemos que a atividade física requer dispêndio de energia. Isso é verdadeiro em relação ao nosso corpo e ao nosso cérebro, ou seja, às nossas funções físicas e mentais.

Buscando o repouso é que fazemos o relaxamento, pois precisamos nos entregar a estados passivos para recuperarmos energia despendida. Quando executamos uma tarefa, continuamente estabelecemos uma lei em nossa mente subjetiva, no sentido de agir de maneira desejada. Se pararmos devido ao cansaço, a lei continua em operação e pode afetar partes do organismo.

Para relaxar adequadamente é preciso aplicar às regiões do corpo uma espécie de massagem mental. Convém, antes, tomar uma posição o mais confortável possível. Em seguida devemos dirigir nossa consciência para a região em particular que queremos relaxar ou mesmo regenerar. Devemos sentir como se unicamente essa parte estivesse viva. Geralmente iremos perceber uma ligeira pulsação ou um certo calor nessa região. Com isso estaremos estimulando as células daquela área por dirigirmos a ela a nossa energia mental.

Ao sentirmos a pulsação e o calor, devemos fazer uma série de inalações profundas, segurarmos o ar nos pulmões por algum tempo, sem desconforto, e depois exalarmos lentamente. Quando a sensação de calor parar de aumentar é o momento de cessarmos a concentração. Nesse momento, o desconforto e a fadiga cessarão também.

Não estaremos totalmente relaxados se a mente permanecer ativa, mesmo que nos relaxemos fisicamente. Se enquanto deitamos gastarmos energia em pensamentos sobre problemas, então persistirá uma tensão. Por isso, devemos nos manter tão isentos de atividade mental quanto possível. Isso é muito difícil. Quando a mente está bastante ativa e tentamos parar de pensar, passa a ocorrer uma ideação caótica. As ideias continuam sem direção.

A transição do estado mental ativo para o passivo deve ser gradativa. Consegue-se isto focalizando a consciência em uma única ideia, tal como alguma forma visual simples. Por exemplo, podemos usar um desenho geométrico como o triângulo, o quadrado, o círculo ou outro qualquer de nossa preferência. Devemos visualizar a imagem que escolhemos em nossa tela mental e nos concentrar nela. Se continuarmos a manter essa imagem na mente, esta acabará por se tornar monótona, porque a consciência é um estado ativo. Cada vez será necessário usar mais força para manter essa imagem na mente. A vontade, por fim, será derrotada e conseguiremos o relaxamento.

Quando conseguirmos entrar em verdadeiro relaxamento, sentiremos seus efeitos benéficos por muitos dias, por vezes até por semanas. O relaxamento é a porta de entrada para o contato com o Mestre Interior ou Eu Interior, a parcela divina e sábia dentro de nós. Todas as Escrituras Sagradas enalteceram a importância do silêncio. Ora, este só é conseguido tendo um período de relaxamento como preliminar.

Aprendendo a relaxar, somos capazes de atingir níveis cada vez mais sutis de consciência, até que, um dia, possamos experimentar um grau de iluminação que, por certo, modificará radicalmente nossos valores e nossa visão de vida.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Compartilhar/strong> Artigo

Sobre o Autor

Comentários

Comments are closed.