Ansiedade

ansiedade

Ansiedade

Edgar Wirt, Ph.D., F.R.C

A ansiedade é contagiosa. Não quer dizer que passa de uma pessoa a outra, e sim que ela passa de uma área mental para outra, na forma de ansiedade deslocada. A ansiedade é como o medo, mas não o medo que sentimos diante de um perigo evidente. É um sentimento vago de incapacidade de evitar alguma coisa que ainda não ocorreu ou de não sabermos lidar com ela. Neste processo imaginamos o pior, sentimos um temor que é incapacitante e pode levar ao pânico. Para os outros, nossa ansiedade pode parecer irreal e talvez tola, enquanto que a ansiedade deles parece real e justificada.

Uma forma de terapia consiste em desenterrar as raízes ou causas específicas da ansiedade. Um terapeuta competente pode nos ajudar a reestruturar nosso modo de pensar relativo a estas causas e desenvolver uma atitude mais positiva, como o pensamento positivo aplicado a nossas crenças ou suspeitas particulares, criadoras da ansiedade.

No devido tempo, os ensinamentos Rosacruzes também provocam essa reestruturação quanto à maneira de percebemos as coisas e reagirmos a elas. Quando um Neófito enfrenta um problema imediato de ansiedade, sente dificuldades em reestruturar–se por si mesmo, por causa da ansiedade deslocada. Frequentemente é como caçar a sombra do tigre, nunca alcançando o próprio tigre.

Outra forma de terapia considera a ansiedade como uma reação ou hábito adquirido que pode ser modificado ou suplantado através de uma orientação adequada. Isto implica autodisciplina para a obtenção de uma atitude mais relaxada com relação aos acontecimentos da vida –  o aprendizado gradativo de tolerar dificuldades sem reagir com ansiedade.  De certo modo, isto quer dizer que aprendemos a nos reconciliar com a ansiedade.

Uma fórmula mais popular é a de voltar-se para alguém que nos assegure de que estamos bem, que somos amados, e que tudo vai dar certo. Embora este tipo de afirmação seja eficaz, não é permanente. Precisa ser repetido de tempos a tempos.

Também podemos considerar a ansiedade como doença e aplicar os métodos de cura Rosacruz.  Para começar, uma ou duas vezes por dia (e na forma aprendida), solicite ao Cósmico que o cure. Não é necessário especificar de que modo a cura deverá ocorrer, nem que você deverá ser confortado ou ser informado quanto às raízes de sua ansiedade e que será capaz de vencer a mesma. Também não tente classificar suas ansiedades em diferentes categorias ou problemas. É melhor simplesmente pedir ao Cósmico que “afaste este fardo de mim”.

Há mais coisas que você pode fazer em suas atividades diárias para ajudá-lo a lidar com a ansiedade.  Separe suas atividades, e ao passar de uma atividade para outra, de uma área de atenção para outra, faça uma pausa e permita à mente que deixe de pensar em qualquer assunto. Mantenha a mente vazia por alguns instantes. Melhor ainda, relaxe e tente um breve contato ou Harmonização Cósmica, mesmo que não tome consciência de que o contato ocorreu.

Nessas ocasiões, sente-se a tentação de repetir a petição ao Cósmico, mas não é este o propósito ou função desses momentos de pausa. O Cósmico não precisa ser lembrado de sua petição. É você que precisa ser lembrado de que deve abrir a mente aos benefícios do Cósmico para que penetrem todos os aspectos de sua vida consciente e dissolvam sua ansiedade.

De tempos em tempos, quando você verificar que há uma melodia em sua mente em vez de ansiedade, saberá que o processo está em andamento. Você não precisa ficar condenado à ansiedade. A alegria e a segurança são a herança daqueles que aprendem a reconhecer e reafirmar sua inata ligação com o poder Cósmico, espiritual.

Pontos a ponderar

  • A ansiedade faz parte da experiência que precede a descoberta de um novo e mais abrangente grau de autodomínio.
  • O autodomínio em estados de ansiedade serve para nos ensinar importantes lições de autodomínio em todos os aspectos da vida.
  • A ansiedade é um mecanismo normal de proteção que nos chama a atenção para pararmos, olharmos e ouvirmos, para então continuarmos a caminhar com mais proteção.
  • Fase Um… Pare: A ansiedade nos avisa que não estamos prestando suficiente atenção. Ao agirmos sem plena percepção das coisas, reduzimos nossa consciência a uma máquina, o que nos desumaniza.
  • Fase Dois… Olhe e Escute: Assim como precisamos ver e ouvir o perigo externo com nossos sentidos objetivos, também precisamos olhar nosso interior, com os olhos e os ouvidos da mente.
  • Fase Três… Caminhe com Mais Percepção: as lições a serem aprendidas, a compreensão a alcançar, serão incompletas sem a experiência da participação na vida. A ansiedade não desaparecerá a não ser após participarmos da vida consciente e perceptivamente.
  • Aceite o fato de que tudo que você está experimentando agora, agradável e desagradável, só bem mais tarde poderá ser reconhecido como um apoio no processo de alcançar seu próprio objetivo da vida.

 

Compartilhar/strong> Artigo

Sobre o Autor

Comentários

Comments are closed.